RELATO MIP E MID – REGIÃO CORNÉLIO PROCÓPIO



Os esforços estão concentrados no município de Santa Mariana dentro da Microbacia Arara, com área total de 8.331 ha, dos quais 5.858 ha estão implantado com a cultura da soja e distribuídos em 100 propriedades rurais com área média de 50 ha.

A definição dos trabalhos nesta área geográfica se deve a sua importância pela existência de captação de agua pela Sanepar e abastecimento para uma população de 12.435 habitantes residente em Santa Mariana; a presença de Reserva Legal em parte da cabeceira da área servindo de área de abrigos para inimigos naturais de pragas das principais culturas exploradas, como soja e milho safrinha e a tempos iniciados os trabalhos de Conservação de Solos e Agua por projetos governamentais.

Historicamente as áreas apresentam os problemas comuns às demais áreas agrícolas do estado, com elevados números de aplicações de agrotóxicos para controle de pragas e doenças das principais culturas, escorrimento superficial de solo e agua aos mananciais, possível de ser visualizado logo após períodos de chuva, carreando produtos químicos para a captação.

 

Parceiros:

Os trabalhos tem como parceiros: o Colégio Agrícola “Fernando Costa” de Santa Mariana, com envolvimento de alunos estagiários, apoiando no monitoramento semanal das áreas e liberação dos parasitoides para controle do complexo de lagartas que atacam a soja, os esforços realizados são transformados em trabalhos escolares de conclusão de curso – TCC, os quais são aprendizado práticos aos futuros profissionais. O Sindicato Patronal, Conselho de Sanidade Agropecuário, Secretária de Agricultura Municipal está presentes apoiando, divulgando os trabalhos e ADAPAR nas questões legais do uso de agrotóxicos e no empréstimo dos equipamentos, microscópio, para análise das laminas oriundas dos coletores de esporos.

Estratégia:

Os trabalhos iniciaram na safra 2012/13 em 4 propriedades com área de 120 ha, onde foi utilizado o MIP + controle Biológico (CB).

Para safra atual está sendo trabalhadas 10 propriedades com área de 306 há, das quais 3 de MIP+CB.

Como apoio foi instalado uma Armadilha Luminosa, para medir a flutuação de mariposas dos insetos que podem ocorrer na cultura da soja e servir como balizador para presença de lagartas do complexo heliothinae nas áreas e também como definição do momento de liberação dos parasitoides, Trichogramma pretiosum.

Coletores de Esporos, “Estação de pré-aviso”, foram instalados na região, distribuídos nos Municípios de Andirá (1), Sertaneja (1) e Santa Mariana (2) com duas coletas semanais como instrumentos na tomada de decisão no controle de ferrugem da soja. As laminas são analisada em laboratório no Escritório de Santa Mariana, pelo Noel Justo, e os resultados positivo e/ou negativos divulgados aos municípios junto aos escritórios da Emater e Parceiros.

Situação atual:

As áreas encontra-se em estádios vegetativo (V-5/6) e presença de flor (R-1) com idade média de 40 dias, as condições climáticas de baixa precipitação e má distribuição da chuvas  com altas temperaturas tem favorecido para um desenvolvimento irregular no crescimento das plantas e antecipação na fase de florescimento comprometendo o fechamento de ruas e menor área foliar, situação que obriga uma maior atenção na condução da cultura e menor potencial produtivo, neste momento.

Captura de adultos na armadilha luminosa, é baixo a presença de mariposa, média de 3 Anticarsia nos últimos 4 dias, e presença esporádica de spodoptera e falsa medideira.

Pela baixa ocorrência de adultos de lagartas nas armadilhas, e não presença de oviposição nos trifólios superiores das plantas, não foi realizado liberação de parasitoides nas áreas programas.

Até a presente data, das 10 áreas monitoradas, apenas 02 foram necessários aplicação de agrotóxico para controle de lagarta, pelo nível de desfolha, utilizando produtos reguladores de crescimento/fisiológicos.

O número de aplicação no município e algumas áreas dentro da microbacia chega a 3 com média de 2 aplicações e o que mais preocupa são os produtos de alto impacto aos inimigo naturais e dose acima da recomendada.

Pelos dados de monitoramento foi possível observar uma redução de 71% das lagartas heliothinae no período compreendido entre a última semana de outubro, as amostragens registraram 1,4 lag/batida até a semana de 18 a 22/novembro onde se registrou 0,4 lag/metro, hoje o nível é de 0,1 lag/metro; a presença de predadores, mais fáceis de serem visualizados, como Aranha, Formigas, Eriopis, Geocoris e parasitoides mosca Tachinidae possam ter contribuído para está redução.

 

Resultados:

Media de aplicações dentro do MIP 0,2 aplicações, nas demais áreas município 2 aplicações.

Tempo médio da primeira aplicação: 40 dias no MIP, áreas município 12 dias (para heliothinae)

Produtos: MIP - Reguladores de crescimento/fisiológico, seletivo a inimigos naturais, dose recomendada; áreas município – mistura de produtos como Metomil + fisiológicos, Profenofos + fisiológicos , dose 1,5 a 2,0 vezes a recomendada.

 

Outros:

Fora da Microbacia a região está trabalhando com MIP em Sertaneja (5 áreas), Itambaracá (3 áreas), Andirá (2 áreas) em situação semelhante ao relatada acima.

Duvida entrar contato Fernando T. Oliveira.

Produtores participantes do MIP  para contato em Santa Mariana:

Nilton Vigato – 9988-9552

Edivaldo Alves –

Nilson Leite – 9977-4266

 


TÉCNICOS
ENVOLVIDOS: Fernando Teixeira de Oliveira – Andirá,  Jaci Fernandes Dias – Santa Mariana,  Emerson Poloni – Santa Mariana,   Ilvo Antoniazzi – Sertaneja,   José Eduardo Dias – Itambaracá,   Noel Justo – Cornélio Procópio,   Eduardo Tadeu Sanches – Leopolis