Área de Associados


X    fechar
Webmail


X    fechar
Webmail


X    fechar
Extensões de Base
X    fechar


Boletim Eletrônico

11 de Janeiro de 2019

Falta de combustível de aviação pode afetar lavouras

Insumo está em falta desde dezembro e pode prejudicar, principalmente, as lavouras de soja, cana e arroz, que estão em fase de desenvolvimento


O Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag) informa que a falta de gasolina de aviação (avgas) pode prejudicar o tratamento de lavouras como soja, cana-de-açúcar e arroz, neste período de desenvolvimento das culturas. “Todas altamente dependentes da aviação agrícola”, alertou o Sindag, em nota. A falta ocorre justamente no momento em que a pulverização aérea é necessária.

Segundo a entidade, a ausência do combustível é verificada desde dezembro em distribuidoras de todo o território nacional. O Sindag relata, ainda, que enviou ofício à direção da Petrobras solicitando informações e cobrando providências para a normalização do serviço. A avgas é produzida somente na Refinaria Presidente Bernardes, em Cubatão (SP).

“A escassez estaria sendo causada por uma parada programada para manutenção na linha que atende a aviação. Em virtude disso, a Petrobras estaria importando avgas desde o fim de novembro e os trâmites burocráticos para o desembarque de cargas estaria provocando o desabastecimento”, explicou o Sindicato, baseado em informações de empresários aeroagrícolas.

De acordo com a entidade, metade da frota aeroagrícola do Brasil utiliza a avgas. O País tem 2,1 mil aviões agrícolas, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A situação mais crítica, conforme análise do Sindicato, é a do Rio Grande do Sul, com maior número das aeronaves movida a avgas. “Há operadores com combustível para voar somente até o fim da semana”, relata a entidade.



Mais Notícias



Fale Conosco

(44) 3220-1550


Rua Piratininga, 391 - Edifí­cio Lavoura - Fax (44) 3220-1571 - CEP 87013-100

Maringá - Brasil


 
Via Site