Área de Associados


X    fechar
Webmail


X    fechar
Webmail


X    fechar
Extensões de Base
X    fechar


Boletim Eletrônico

24 de Setembro de 2018

Prosolo é aliado para reduzir prejuízos bilionários causados pela erosão

Prosolo atua para retomar as boas práticas de manejo no Estado. Segundo pesquisas, erosão pode causar prejuízos da ordem de R$ 1 bilhão ao ano no Paraná


Não é a colheitadeira de última geração, nem os silos na propriedade, tampouco os insumos cotados em dólar. Os principais patrimônios do produtor rural são o solo e a água, que possibilitam, conforme suas condições, bons índices de produtividade. Por muito tempo a luta pela conservação destes recursos naturais travou batalhas num campo abstrato. Afinal, quais as dimensões dos ganhos obtidos com a conservação do solo e da água? Como mensurar ou quantificar os prejuízos causados pelo processo erosivo? Quanto custa recuperar esse patrimônio?

Recentemente, alguns estudos científicos se debruçaram sobre estas questões para quantificar os danos causados pela erosão. De acordo com o pesquisador do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) Tiago Telles, o prejuízo causado pela erosão nas lavouras paranaenses temporárias (que precisam ser replantadas todo ano, como soja, milho, trigo, entre outras) chega a US$ 242 milhões por ano, cerca de R$ 1 bilhão. “Fizemos uma estimativa com experimentos, calculamos o volume de nutrientes que estavam contidos nos sedimentos levados pela enxurrada, aí convertemos os nutrientes em fertilizantes comerciais”, explica Telles.

Além de quantificar as perdas econômicas da má conservação, outros estudos levantaram a perda de nutrientes. De acordo com o trabalho científico “Perdas e custos associados à erosão hídrica em função de taxas de cobertura do solo”, publicado em 2015 na revista científica Bragantia do Instituto Agronômico de Campinas, quando comparada uma parcela de área sem nenhuma cobertura vegetal no solo e outra com 90% de cobertura, as perdas médias de água foram 51,97% menores, as de terra 54,44% e as de matéria orgânica 54,89%. “O maior percentual de cobertura do solo resultou em menores custos associados às perdas de água, terra e nutrientes por erosão”, conclui o estudo.


Mais Notícias



Fale Conosco

(44) 3220-1550


Rua Piratininga, 391 - Edifí­cio Lavoura - Fax (44) 3220-1571 - CEP 87013-100

Maringá - Brasil


 
Via Site