Área de Associados


X    fechar
Webmail


X    fechar
Webmail


X    fechar
Extensões de Base
X    fechar


Boletim Eletrônico

24 de Maio de 2022

Seminário da CBN AGRO mostra força feminina com especialista na pecuária leiteira


Ocorreu na última segunda-feira (09) a 7ª palestra do ciclo CBN Agro 2022, que foi idealizado pela Rádio CBN de Londrina e teve início na cidade de Cornélio Procópio em abril e continua seguindo passando por outras dez cidades paranaenses. O evento foi feito em parceria com o Sistema Faep/SENAR, o Sindicato Rural e o Sebrae e teve como tema a gestão, inovação e o empreendedorismo feminino no agro.

 

A palestra começou com o tradicional cumprimento de Maria Iraclézia de Araújo que abriu a conversa e ressaltou a importância dos eventos presenciais estarem acontecendo novamente, uma vez que a feira foi adiada quatro vezes e teve que ser preparada em apenas 60 dias. “Nesse momento novo, nos deparamos com problemas novos, que nos permite hoje viver novas experiências”, afirmou a presidente da Sociedade Rural de Maringá. Maria Iraclézia ainda reforçou o papel feminino no agronegócio, dizendo que “como mulher, quando somos colocadas à prova, as pessoas dizem que estamos com TPM, sempre questionando nossa capacidade. Mas nós temos nossos limites e acima de tudo temos o dom de gerar uma vida, um dom que nos permite aprender com as adversidades. E o trabalho no campo também vem acompanhado de adversidades, pois a produção é feita a céu aberto, rodeada de intempéries climáticas, da ausência de insumos, entre outros problemas, mas nós temos a habilidade de lidar com isso”.

 

Após as falas iniciais, a palestrante Marlene Kaiut foi convidada a iniciar a palestra. Ela é produtora rural formada em Administração de Empresas , campeã do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios da categoria produtora rural do Paraná e foi destaque em revistas e programas importantes, como o Globo Rural, Fantástico, Mais Você, Mundo Leite, Pequenas Empresas & Grandes Negócios nas matérias Mulheres Empreendedoras Bem-sucedidas e já foi até convidada a entrar para o Big Brother Brasil. Em 2011 ela assumiu a frente do rebanho leiteiro na chácara São João, em Carambeí (PR), quando a empresa estava prestes a fechar suas atividades. Após sua liderança, a leiteria triplicou o número de animais em lactação e a produção aumentou mais de quatro vezes graças à adequação na alimentação dos animais, ao manejo aprimorado e à melhoria genética.

 

Kaiut iniciou sua apresentação afirmando que “falar de empreendedorismo feminino significa compreender que precisamos de apoio, tendo comprometimento para enfrentar desafios e se diariamente". Segundo ela, o incentivo familiar é essencial para o sucesso nesse ramo. Ainda assim, quando ela iniciou no meio rural, muitos duvidaram de sua capacidade, o que fez com que ela primeiramente assumisse apenas a parte administrativa. Ela aceitou o desafio pois tinha vontade de mudar as coisas. Quando assumiu a empresa, haviam muitas dívidas que ela logo quitou. Um dos tópicos principais de sua palestra foi “a mulher no agro e o preconceito”, um assunto que ela considera importante já que desde o primeiro dia em que começou a liderar a leiteria, um de seus funcionários se recusou a assumir ordens de mulheres.

 

Para o sucesso de seu negócio, ela conta que sempre trabalhou com metas a longo prazo. Seu primeiro objetivo era conseguir construir duas moradias para os seus colaboradores, que são o sustento de sua empresa, após conseguir superar essa meta, seu foco era construir uma sala de ordenha e melhorar os equipamentos desse ambiente, que ela também conseguiu fazer. Em seguida, ela objetivou construir um barracão de trato e um bezerreiro, pois percebeu que no início sua estrutura levava a perda de muitos bezerros, pois não havia o cuidado com detalhes que fazem a diferença. Seu sonho era chegar a 75 animais, mas ela ultrapassou isso, contando hoje com estrutura capaz de abrigar 140 bovinos, o que consequentemente levou ao aumento da produtividade.

 

Marlene Kaiut mostrou como a dedicação levou aos resultados, com sua propriedade sendo hoje 100% auto sustentável e a qualidade do leite vendido atingindo os melhores índices, uma diferença enorme entre 2011 e 2021. Ela ainda se preocupa com o meio ambiente, construindo uma enorme fossa para os dejetos dos animais, projeto esse que as pessoas ao seu redor duvidaram se seria necessário, mas hoje ela usa esse material para molhar sua lavoura e garantir a alta produção sem compactação do solo. Ela também introduziu o tratamento genético de seus animais, sendo a primeira mulher do Brasil a fazer testes de genoma para que seu leite fosse de qualidade. Nas suas palavras: “não é caro pois dá resultado”.

 

Ainda, quando assumiu o negócio, não eram realizadas ultrassonografias nas vacas, algo que ela introduziu para conseguir realizar projeções da quantidade de animais em criação anualmente. Outra meta sua era ter a oportunidade de levar o conhecimento às pessoas, então ela criou um alojamento para receber estagiários de todo o país, ensinando quatro alunos todo mês e gerando uma troca de experiências gratificante. Marlene Kaiut finalizou o encontro reafirmando que ela passou por tudo isso, então as outras mulheres que tem vontade de ter sucesso conseguem crescer também, bastando ter vontade e dedicação.

 

Redação: Nicole de Alencar Broetto



Mais Notícias



Fale Conosco

(44) 3220-1550


Rua Piratininga, 391 - Edifí­cio Lavoura - Fax (44) 3220-1571 - CEP 87013-100

Maringá - Brasil


 
Via Site